quarta-feira, 18 de abril de 2012

Entrevista de emprego II

Olá :)

É... olha que está rendendo, rsrs
Após 1 dia da minha primeira entrevista de emprego, fiz a segunda entrevista. Segundo CV enviado, segunda entrevista agendada. Tá bom, né?

Então. Agora fui para o oposto do hospital que eu fiz a primeira entrevista: Chateauguay. Isso mesmo, região da Monterégie. Gosto muito dessa região. É tranquila, trânsito calmo, cidade com mais ou menos 46.000 habitantes e separada de Montréal apenas pelo rio São Lourenço.

Como moro em Île-des-Soeurs (uma pequena ilha do lado da ilha de Montréal-por aqui tem muitas pequenas ilhas), tenho a opção de ir para essa região por duas pontes. Como ainda não comprei carro, fui para a ilha de Montréal, peguei metrô por 10 minutos, depois mais 20 minutos de buzão e pronto. Estava no local da entrevista.

Comecei preenchendo os chatos, mas necessários formulários santé. Em seguida, passei por uma hora e 20 minutos de entrevista com a agente de recrutamento e a gerente de enfermagem. A g. de enfermagem, no começo, estava um pouco presa (acho que ela é um pouco seca mesmo :) ) e demorou um pouquinho para demonstrar simpatia. Mas...depois de uns quinze minutos de entrevista ela estava até sorrindo, rsrs

As perguntas da agente de recrutamento são mais ou menos as mesmas (acho) que de todos os lugares: sua experiência de trabalho, suas forças e suas fraquezas, como você conheceu o hospital, porque você se tornou enfermeira, como você trabalha seu estresse, como você faz para manter seus conhecimentos em dia, etc.

Já a gerente de enfermagem fugiu um pouquinho do que eu passei na outra entrevista e do que ouço de outras colegas. Ela me apresentou várias histórias de caso e em todas, o que ela queria era testar meu julgamento clínico, tipo: o médico prescreveu  250 g de um medicamento "X" via oral e você percebe que a dosagem é alta demais para o paciente. Qual a sua conduta? Você   liga para o médico? E se ele disser que é para dar mesmo assim o tal medicamento? Você vai dar?

A minha resposta foi NÃO. Se eu sei a dose certa por kilo do paciente, sei quais os efeitos secundários e esperados do medicamento, sei seu modo de ação, blá, blá, blá... eu decido por não dar o tal medicamento, dizer à enfermeira assistente, fazer notas de enfermagem e aguardar o médico passar a sua visita. E ela disse que a minha decisão estava correta :)

Outra pergunta: se você faz o PTI de um paciente (Plan Thérapeutique Infirmier), a enfermeira auxiliar pode fazer alterações nele? Não.

Rapidinho, pra quem ainda não conhece, o tal PTI é um formulário à parte que deve ser feito e ajustado  (pela enfermeira) para cada paciente, de acordo com as suas necessidades prioritárias.

Tenho observado que eles aqui gostam de respostas curtas e objetivas. Um exemplo claro disso é a prova da ordem das enfermeiras (que eu devo fazer em setembro). Uma pergunta ampla, muitas respostas curtas, claras e objetivas.

Gente, o post está tomando dimensões um tanto que grandinhas...acho melhor parar...rsrs

Grande abraço e boa sorte pra todos que estão na batalha.

Lu

10 comentários:

Cris Schultz disse...

Lu,
Ler os seus post sobre as entrevistas até me deu um friozinho na barriga. Guria é difícil, né? Eu só de pensar suo frio. Não quero nem ver quando chegar a minha vez.
Vai dar tudo certo, você vai ver, você ainda vai poder escolher o lugar que você vai.
Que a paz esteja sempre com você!

Lucinei disse...

Que bom receber um comentário seu por aqui :) Bjs Obrigada

Leisa Braga disse...

Oi Lu!

Comecei a ler seu blog desde o início hoje, concordo com a Cris, e acho vc muito corajosa, tanto q até passa coragem pra gente, rs... Gostaria de saber seu email, pois tenho algumas perguntas para te fazer... é possível? Desde já agradeço e desejo uma boa sorte!

Lucinei disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leisa Braga disse...

anotei seu email Lu, obrigada, assim q der te envio uma mensagem! :))

la vie est belle dans la belle province disse...

eu tb moro em IdS!
somos vizinhas! :-)

boa sorte nas entrevistas.
Quando eu estava no curso de integraçao, na aula de preparaçao pra entrevista a professora foi enfatica = encaminhem CVs apenas para os hospitais que interessam, pois eles VAO CHAMAR pra entrevista =

bonne chance!
Gabi

Tania Vianna disse...

Olha, que bom ler seus posts. Tem q ter sangue no olho p/ fazer estas etapas todas. É bacana encontrar colegas como vc.
Espero conseguir seguir seus caminhos...
Abçsss

Lucinei disse...

Sangue no olho, é Tânia??? kkkkkk Primeira vez que vejo esse ditado :)

Boa sorte. Abraços

Paola Wortman disse...

Lucinei!!!! acabei de descobrir seu blog gracas a um comentario seu no blog do Igor.
Seu blog e lindo e as fotos maravilhosas!!
Como vao vcs? que bom que ja esta fazendo entrevistas!!! parabens!!!! Deus vai te dar um emprego muito bom, vc vera.
Aquie stamos bem, gracas a Deus. Comeco hoje minha segunda semana no emprego, o Gal ja tem quase 1 mes. No final as coisas se ajeitam.
Saudades!! Qaundo vcs vem?
Beijos!!!

Lucinei disse...

Paola :) que bom q vcs já estão empregados.

Também já consegui um emprego num hospital daqui, começo 28 de maio :)

Bjs