segunda-feira, 18 de abril de 2011

Fluxograma da equivalência de enfermagem no Québec

Se tiver dificuldades para ler, clique na imagem, vai em "exibir"e dá um zoom :)
Fiz esse fluxograma "por mim". Fica mais fácil de mostrar o caminho para os enfermeiros. Não é nenhum bicho de 7 cabeças :)

NÃO É DIFÍCIL DEMAIS! É SÓ PLANEJAR DIREITINHO. NÃO FIQUEM COM MEDO DO FLUXOGRAMA, NÃO. RSRS

Observações e dicas:

Francês e inglês
*Realmente, um bom nível de francês faz a diferença para a profissão de enfermagem no Québec. Para os que acham que o nível de francês está meio "fraco", existe uma opção em inglês, no colégio que citei lá embaixo.

Quando começar o Cégep?
*Tendo a carta da OIIQ (Ordre des infirmières et des infirmiers du Québec) na mão, é você quem decide. Com um bom nível de francês, pode chegar e ir direto fazer sua inscrição no Cégep que estiver com as inscrições abertas.

O tempo médio de espera entre sua chegada (contando que você chega aqui e vai direto para o nível 3 da francisação) e a entrada num cégep é de mais ou menos 6 meses. Pode demorar mais? Pode. Se você for para o nível 2 da francisação e se você reprovar num cégep, por exemplo, pode atrasar um pouquinho mais. Mas pode ser menos também. Como já disse, cada caso é um caso. Lembrando que a prova é em francês. E é claro que tem concorrência e que é maior em Montréal :)

O que é o curso de integração, e quem o faz?
* É um curso de atualização da profissão de enfermagem tipo "reciclagem". É uma atualização dos conceitos québécoises. Ensina o código de deontologia das enfermeiras do Québec, revisa literatura (voltadas pra população do Québec) e técnicas de procedimentos.
É oferecido às enfermeiras formadas fora do Québec e também às enfermeiras québécoises que tem mais de 5 anos (eu acho) paradas, longe da assistência.

O que é CEPI?
*"Candidata ao exercício da profissão de enfermeira". É esse o título que você recebe após fazer o curso de integração no Cégep e antes de fazer a prova definitiva da OIIQ (esta prova sim, te dá o título de enfermeira no Québec).

Prova do OQLF (Office québecois de la langue française)
* Exame que atesta seu nível de francês. É exigido para todas as profissões que são regidas por uma classe.
Esse exame pode ser feito quando você sentir confiança, quando achar que seu nível de francês está bom. Não precisa terminar o curso de integração para fazê-lo. Ele é independente da integração. Pode fazer antes, depois, quando você se sentir à vontade com o francês. É composto de compreenão oral e escrita, expressão oral e escrita (escuta e redação) e teste oral (conversação). É dividido em 3 etapas (mas feitas no mesmo dia) e se você reprovar em uma delas, você faz novamente só a parte em que reprovou. Isso é bom. A parte ruim é que você deve esperar 3 meses para fazer o novo exame da parte que você reprovou. Mas, pode adiantar as coisas, agendando um novo exame assim que você receber a carta em sua casa com o resultado (se tiver reprovado em alguma etapa). O mínimo é 60% de acerto em cada etapa.

Integração X equivalência
*São processos diferentes. Integração é o curso em um Cégep para se adequar ao mercado de trabalho québecois em enfermagem e quem inicia ele é a OIIQ. Equivalência é o reconhecimento (ou não) pelo MICC (Ministère de l'Immigration et des Communautés culturelles) do seu diploma. No caso dos enfermeiros, a OIIQ encaminha os documentos para o MICC e o MICC envia para seu endereço o resultado da equivalência. Facilita bastante.

Cidades que oferem o curso de integração:
* Em francês: Montréal, Longueuil, Sherbrooke, Ville de Québec e Granby.
Essas cidades tem Cégep que oferecem o curso de integração em francês. Em inglês, existe somente um Cégep que fica no extremo oeste de Montréal, que é o Collège John Abbott.

Sobre a prova do Cégep:
*A prova que o Cégep aplica, na verdade são duas: pela manhã, um questionário com quatro estudos de caso mais a parte de cálculos de medicações e experiência profissional. À tarde, tem outra prova com duração de 3h que é somente de françês: um ditado, parte gramatical e composição. Se a candidata for aprovada nestas duas provas, ela será chamada para a entrevista.
Então na prova, fica valendo avaliação do nível de francês e conhecimentos específicos.

E, para quem quer fugir da concorrência de Montréal e de Longueuil (sim, Longueuil já tem concorrência!), uma boa opção é Ville de Québec, seguido por Sherbrook e Granby. Só escolher.

Ufa!!!


***Lembrando que a história de cada pessoa é diferente das outras. Tudo que postei é para dar uma clareada no processo. Obs: na página inicial do blog tem links para a OIIQ e para o OQLF.


Qualquer dúvida, mandem como comentário que respondo via e-mail. Abraços e boa sorte.

Vanessa, obrigada pela consultoria :)

28 comentários:

Família Quebecosta disse...

Olá Lucinei! Post muito legal!
Eu e minha esposa estamos nos preparando para o processo de imigração. Temos uma dúvida que não consegumos esclarecer em lugar nenhum e gostaríamos muito da sua ajuda, já que isso pode interferir e muito na nossa trajetória. A Carol, minha esposa, está cursando enfermagem (segundo período). Eu vou me formar daqui há 2,5 anos (gestão comercial) e ela daqui 4 anos, aproximadamente. Vou me formar com 35 anos, idade limite para não perder pontos nesse quesito, vou aplicar logo após me formar como requerente principal.
Nesse momento ela ainda não estará formada. Uma alternativa seria eu ir na frente e ela ficar para terminar a graduação, o que não seria nada agradável. Se eu ficar para irmos juntos, perco pontos pela idade e acabo tendo maior dificuldade para me colocar no mercado quebecois. A pergunda é: existe uma maneira de, na época, ela obter uma transferência para uma universidade no quebéc e terminar o curso por lá, aproveitando o que já estudou no Brasil? Gostaríamos muito de chegarmos juntos ao Quebéc. Desculpe pelo tamanho do comentário, mas este assunto é decisivo para a gente e não encontramos respostas. Obrigado e sucesso! Nosso e-mail: quebecosta@gmail.com

Fernanda Furtado disse...

Oi Lucinei, referente ao que você escreveu que a prova para analisar o conhecimento da lingua e que "são voltadas para a área de saúde, tipo estudo de caso"
quero tirar algumas duvidas sobre isso, bjs.
fernandafurtado_@hotmail.com

bye

Anônimo disse...

Oi, o seu post hoje foi bem interessante, agora fioquei com duvida sobre quando vocÊ diz do teste para conhecimento da lingua, "que são voltadas para a área de saúde, tipo estudo de caso"
queria tirar algumas duvidas e pedir outras dicas, teria como?!!?
email: fernandafurtado_@hotmail.com

bjs

Sidão e Bianca Sivini disse...

Olá Lucinei,

primeiramente quero agradecer pelo post, excelente. Eu mesmo que não tenho muitas habilidades com computador para fazer pesquisas mais detalhadas. rrrsss

Sou Enfermeira e Terapeuta Ocupacional, estamos dando entrada em nosso processo de imigração agora dia 19 de junho. Tenho algumas dúvidas quanto a validação e poder exercer a profissão de enfermeira no Quebec. Adoraria Poder contar com sua ajuda. Meu e-mail / MSN:

bianca.sivini@hotmail.com

Abraço e sucesso,

Bianca Sivini

ELIDIANE E REINALDO disse...

OLA MAIS UM OTIMO POST,TENHO UMA DUVIDA. QUAIS OS CRITERIOS QUE O QIIQ PARA ESCOLHER SE DAO UMA CARTA PARA ESTAGIO OU UMA CARTA DECISAO PARA FAZER O CEGEP? OU VC GANHA AS DUAS? DEVO ENVIAR INICIAR ESSE PROCESSO APOS A ENTREVISTA OU ANTES?
BEM SE PODER ME AJUDAR FICAREI MUITO GRATA, ENVIANDO UMA RESPOSTA POR EMAIL.

FIQUEM COM DEUS!!

ELIDIANE E REINALDO

elidianemonteiro1@hotmail.com

http://quebecnosespera.women-blogs.com disse...

Oi,Lucinei!
Estou imigrando com minha companheira,que é enfermeira,ainda esse ano. Ainda não demos entrada no processo da OIIQ,devido aos gastos com o processo de imigração(estamos aguardando o pedido de passaportes),mas já traduzimos toda a documentação dela com tradutor oficial.Bem,nossa cidade escolhida é Québec,mesmo antes temos pensado em Granby,achamos que a Capitale Nationale é mais interessante para se viver.Vc já deu entrada no processo de validação ?
Abraço para vcs e parabéns pelo blog.

http://quebecnosespera.women-blogs.com disse...

Oi Lucinei!
Eu e minha companheira,que é enfermeira, estamos no processo de imigração na fase de aguardo de pedido de passaportes.Iremos para Québec,apesar termos pensado em Granby inicialmente. Ainda não iniciamos o processo com a OIIQ,devido aos gastos nessa fase do processo,mas já traduzimos toda a papelada com tradutor oficial.Bem,nossa dúvida é a seguinte:vc já iniciou a validação de sua profissão?
Parabéns pelo blog e tudo de bom para vc e sua família.

leo disse...

Olá, minha duvida é a respeito de tecnico de enfermagem. Como tecnico eu passo pelo mesmo processo do enfermeiro? Tenho que fazer o CEPI e OQLF é o Cegep? Quero dizer, eu estudo 2 anos no Brasil pra chegar ao Canadá ter de estudar tudo de novo? Sabe se existe um tempo mínimo de experiência brasileira exigida na função de formação?
Agradeço se responder para: psicozegur@hotmail.com

Lucinei disse...

Então,Léo, olha só:

O técnico passa por um processo diferente do enfermeiro. Os técnicos aqui no Québec possuem sua própria ordem, dá uma olhada no link a seguir, pois é da ordem dos auxiliares: http://www.oiiaq.org/

CEPI (não é um curso) é o "título" que a enfermeira formada (graduada) fora do Québec tem após fazer o curso de adaptação em "Soins Infirmiers". Exemplo: quando eu terminar meu curso de adaptação, que vai durar 5 meses, passo a ser CEPI (candidata ao exercício da profissão de enfemagem :) )

OQLF não é o Cégep! OQLF é a instituição que aplica testes para verificar a sua proficiência linguística (neste caso, teste de francês). Todos os órgãos de classe (como enfermagem, advocacia, medicina, etc) e órgãos públicos exigem. Você tem que provar seu nível de francês, tem que provar que sabe falar francês. Cégep nada mais é que uma instituição de ensino :). É onde muitas pessoas fazem cursos colegiais e técnicos.

Quando o profissional chega aqui, ele tem que estudar de novo sim. É como se fosse um curso de "reciclagem", onde você dá uma revisada geral, só que no contexto québécois :)

Pelo que sei, a equivalência fica meio estranha aqui para o técnico. Ele (o profissional) tem que estudar 3 anos (total de 1800 horas), acho que o dia inteiro, porque a carga horária é bem diferente entre os dois países. Então, trocando em miúdos, a tal "equivalência" vira "outro curso" técnico aqui. Não é mole não, rsrs

Após se formar, para trabalhar, experiência é boa mas não é exigência não.

É isso. Não fica triste não :) A rapadura não é mole não, mas é doce, rsrsrs. Se é o que você quer pro seu futuro, vale a pena, principalmente se você for jovem. O tempo vai passar depressa demais. Você vai ver.

Abraços e boa sorte.

Lucinei disse...

Olá, Québec nos espera, :)

Então, dei entrada ainda no processo de validação ainda do Brasil. Como disse em um post, correr atrás de faculdade e de antigos empregadores para preencher formulários , e por cima em francês, é tarefa bem difícil e chata :)

Fiz a validação de diploma com o MICC. Junto à OIIQ, falta somente fazer um curso de adaptação que começo dia 12 de setembro e que dura 5 meses. Daí, posso trabalhar como enfermeira aqui, no Québec.

Quanto a morar em Ville de Québec, acho uma excelente idéia. Conheço a cidade e gosto muito de lá.

Boa sorte a vocês.

Lucinei disse...

Anônimo :)

Olá, tudo bem? :)

Então. Realmente, a maioria das ofertas de emprego são sim para as enfermeiras com nível de cégep (colegial) que aqui são chamadas de enfermeiras auxiliares (infirmière auxiliaire). A quantidade de enfermeiras graduadas é pouca. Mas tem muuuuitas vagas para enfermeiras graduadas também.
Mesmo ela sendo enfermeira "superior"aí no Brasil, todas, sem exceção, devem passar via cégep,( mas não para fazer o curso regular, e sim para fazer o curso de integração) (vc leu o post sobre fluxograma da equivalência da enfermagem no Canadá?) ou ir para o estágio em meio hospitalar. Quem decide quais matérias você vai fazer é a OIIQ.

Respondendo a sua pergunta, rsrs

Ela pode trabalhar como inf. axiliaire sim, mas só depois de se regularizar com a ordem (mesmo ela sendo enfermeira).

Dá uma olhada nos sites abaixo (procure por vagas como: infirmière ou infirmière clinicienne ou ainda como Candidate à l'exercice de la profession infirmière (CEPI), que é o título que ela vai ganhar após fazer o curso de integração e antes de fazer a prova da ordem.

http://emplois.oiiq.org/
http://www.emploisensoinsinfirmiers.com/index.php/catalogue/category

Espero não ter te confundido :)

Abraços e boa sorte na entrevista.

Lucinei disse...

Olá Bianca,

Desconheço esse processo "...enquanto o processo de validação segue na ordem". Vou ser se essa semana consigo ver se alguma coisa mudou a respeito.

MAS, tenho quase certeza que não. O pessoal do governo do Québec deveria levar junto com eles para as palestras uma representante da ordem das enfermeiras, rsrs. Olha só. O processo é o seguinte:

-vc manda um e-mail para a ordem explicando q vc vai se mudar pro Québec e que quer fazer a equivalência de diplomas.

-eles te mandam um e-mail de resposta e via correio mandam os formulários para vc, sua faculdade e seu empregador preencher e enviar de volta. Vc manda também toda a documentação: CV, diplomas e etc traduzidos e juramentados.

-se seus documentos estiverem todos certinhos, após algnas meses, eles te enviam a resposta, dizendo o que você precisa fazer: se estágio num hospital ou o curso de integração, num cégep. A duração do curso de integração varia de cégep p/ cégep, como disse no blog. Para fazer o estágio, vc deve ter um francês fluente ou quase fluente, caso contrário eles não te aceitam mesmo. Essa é a minha própria experiência: estou desistindo de fazer o estágio pq els barram por causa do francês, se nao tiver fluente. E olha qua já falo razoavelmente bem, to aqui ha 8 meses. Mas isso é outra história, rsrs

-enquanto isso, tem que esperar. Nada de trabalhar sem terminar essa fase do processo. Após o curso de integração ou após o estágio, aí sim, vc tem a permissão da ordem das enfas para trabalhar, permissão provisória, pq daí vc tem um certo tempo para fazer a prova da ordem para realmente ser enfermeira aqui. Antes dessa prova, vc é somente candidata à profissão de enfermagem e trabalha com algumas restrições, poucas.

-o estágio varia entre 4 e 6 semanas, depende de como a ordem vai avaliar seu material. É remunerado sim. MAS, vc só o faz depois de finalisado seu dossiê com a ordem. Antes, NADA.

-e para finalisar: vc faz seu estágio SE passar na entrevista do hospital que vc terá escolhido.

Me desculpe a cinceridade, mas eles fazem propaganda enganosa mesmo. Não mentem, mas omitem as reais dificuldades. Tem gente que me pergunta "quais são as reais dificuldades", e que não entendem que o processo é muito lento. O Québec é o rei da burocracia, rsrs

Quanto às outras provínvias, não sei muita coisa não. Sei que Ontário aceita a grade do Brasil numa boa, até pq eles exigem uma carga horária que é inferior na maioria das faculdades brasileiras. Isso é bom para nós. Mas, eu descobri isso tarde demais...mas ano q vem pretendo ir para Ontário :)

O começo é a mesma coisa: e-mail, resposta deles, pormulários p vc, faculdade, trabalho preencher...após te dao uma permissão para trabalhar. Só após isso vc faz a prova da ordem de Ontário. Enquanto isso, pode ir trabalhando. Beeeeeeem mais simples. E em inglês.

Espero ter esclarecido. Se tiver mais dúvidas, pode mandar. Lembrando que para dizer algo, eu sempre tiro como base o que acontece com a maioria (quase maciça) de enfermeiros. Não baseio somente na minha própria experiência.

Abraços e boa sorte. E não é para desanimar não, rsrs, é para q vcs venham cientes do que realmente acontece, de como realmente é.
Aconselho a dar uma olhada com muito carinho no processo federal. Sempre tem comunidades na internet que tiram dúvidas...

Bjs. Boa sorte

Lucinei disse...

Então Bianca,

olha só, sobre o que o pessoal disse, de fazer um estágio remunerado enquanto seu processo na ordem corre...

pelo que conversei com minhas amigas aqui em Montréal, o que o pessoal do governo do Québec quis dizer é que e a ordem das enfermeiras melhorou o processo, está oferecendo estágio para facilitar a entrada de enfermeiras no mercado de trabalho aqui. Isso é verdade.

Essa licença provisória é a seguinte: após o estágio ou o curso de integração, vc recebe uma licença provisória para trabalhar até passar na prova definitiva da ordem (para ser enfermeira de verdade, rsrs) Estão falando a verdade.

O que pega é que sem um francês fluente nenhum hospital aceita te pegar para o bendito estágio, que seria a via mais rápida. Para fazer cégep, acontece exatamente como eu disse no blog. Realmente é difícil "dar o pontapé inicial"aqui. E tudo gira em torno de 6 meses ou mais.

Mas, é aquela história. Só vendo para crer, né? Eu vim pensando que seria fácil conseguir o tal estágio. Fiz a francisação, falo razoavelmente bem o francês e estou tendo a maior dificuldade em conseguir o estágio: sempre eles me falam que meu francês ainda não está fluente. Agora, cá pra nós, o francês québécois é difícil de aprender, né rsrs

Mas, tem que tentar. Para cada pessoa, a história é diferente. Vai que vc vem com um francês bom e passa no primeiro cegep? :) Por isso que vir com um bom nível de francês é fundamental.

Feed back das enfas que conheço:
- uma conseguiu cégep na primeira tentativa com 4 meses de québec
- outra com 1 ano (tentou estágio, não conseguiu, foi estudar francês, e só passou no cegep na terceira tentativa),
- outra com 8 meses (de Québec),
- outra com 6 meses (de Québec),
- outra com 4 meses e pouco (de Québec),
- eu estou aqui a 8 meses e já terminei a francisação. Não consegui estágio, vou tentar cegep.

Vcs ainda tem muito tempo antes de vir. Capricha no francês. :) . Sem contar que alguma coisa "no acordo coom o Brasil" pode melhorar. Milagrs existem, rs

Espero ter esclarecido rs

Abraços e boa sorte.

Lucinei disse...

Olá Fernanda, tudo bem?


Tirei sua dúvida com uma amiga que está fazendo Cégep ( a Vanessa). Eu sei dessa trajetória toda porque estou aqui há 8 meses. Meu caso foi um pouco diferente e a OIIQ me deu a opção de escolher entre Cégep e estágio. Então, começo meu estágio semana que vem.

A prova que o Cégep aplica, na verdade são duas: pela manhã, um questionário com quatro estudos de caso mais a parte de cálculos de medicações e experiência profissional. À tarde, tem outra prova com duração de 3h que é somente de français: um ditado, parte gramatical e composição. Se a pessoa for aparovada nestas duas provas aí ela é chamada para a entrevista.
Então, na prova fica valendo francês e conhecimentos específicos.

Espero ter esclarecido. Vou dar uma esclarecida também lá no blog :)

Abraços

Lucinei disse...

Olá, família Quebecosta.
Não precisa se desculpar :), a intenção é mesmo ajudar com informações para as pessoas da área de enfermagem.

Então. Primeiro: vocês já começaram o curso de francês? Se não, está passando da hora, rsrs. Se sim, parabéns.

Transferência mesmo, eu não conheço ninguém que tenha feito. Os cursos universitários daqui do Québec são diferentes de tudo existente no Planeta Terra!!! Já que vc pediu conselho :) eu sugiro o seginte:

# Você pode dar entrada no processo já ou daqui a um ano, visto que o processo todo (federal +provincial) deve durar em torno de 1 ano e meio. Depois do processo concluído, você ainda tem mais 1 ano para dar entrada no Canadá. E, num prazo de 5 anos, você pode ficar fora do Canadá por 3 anos. É muito tempo. Você pode terminar todo o processo, vir só, dar entrada no processo e ficar o tempo que vc julgar necessário para "conhecer"o lugar. Daí, volta pro Brasil e continua a trabalhar, etc, enquanto sua esposa termina a faculdade.

# O mais prudente é que ela termine a faculdade aí, no Brasil. No québec, (acho q vcs já viram nos meus posts) a equivalência é em torno de 5 meses de cégep, sem contar o tempo de cadeira antes (francisação, OIIQ, etc), isso significa mais ou menos em torno de 1 ano de "processos"para ela começar a trabalhar. A não ser que algo mude no processo Québec para enfermeiras.

# Um exemplo, em se falando de idade: quando demos entrada no nosso processo, eu ia completar 35 anos de idade e meu marido, 36.

# Se vcs começarem logo o processo, terão tempo de fazer tudo bem pensado, sem pressa.

# Opinião pessoal: antes de dar entrada no processo via Québec, dêem uma olhada no processo federal, da parte inglesa. A carga horária que eles exigem para enfermeiros que vão para lá é de 2.300 horas (min. de 33% de teoria e de 50% de prática). Ou seja, o pessoal do Brasil não tem problemas. É só fazer a prova da ordem das enfermeiras da região pra onde for e o teste de inglês. Em Ontário, pode até trabalhar antes da prova da ordem, com a devida permissão. Depois faz a prova até passar :) .
Eu não sabia disso quando apliquei o processo...

Espero ter esclarecido alguma coisa :)

Abraços e boa sorte. Lucinei

Lucinei disse...

Família québécosta,

O link abaixo fala do tempo que você pode ficar fora do Canadá, mantendo o status de residente permanente.


Conservation du statut de résident permanent

Votre statut de résident permanent vous autorise à vivre au Canada mais restreint également la durée de vos séjours hors du pays. Pour conserver votre statut de résident permanent, vous devez résider au Canada pendant au moins deux années dans une période de cinq ans.

http://www.cic.gc.ca/francais/nouveaux/ausujet-rp.asp


Abraços

Lucinei disse...

Oi Lucinei! Ajudou muito mesmo! Obrigado pela resposta super rápida. A Carol ainda não viu a resposta, mas vou mostrar a ela e conversar a respeito. Já estamos estudando o Francês e, no meu caso, Inglês também. Nós descobrimos o processo de imigração há 1 ano, mais ou menos, foi quando escolhemos os cursos de graduação que começamos, segundo nossas aptdões e levando em conta as áreas em alta no Canadá. No meu caso, trabalho há 12 anos como designer gráfico e já estava doido para pendurar as chuteiras da profissão, então começar um curso diferente foi unir o útil ao agradável. Só me formo daqui 2 anos e meio aproximadamente. Só então poderemos dar entrada no processo. Mas este é um projeto de longo prazo e vamos aproveitar o tempo para estudarmos o máximo dos idiomas e valorizarmos nossos currículos. Fiquei realmente feliz com sua resposta e vamos seguir seus conselhos. É bom saber que tem alguém de enfermagem disposto a ajudar. Um grande abraço a vocês e todo o sucesso do mundo!

Mauro e Carol Costa

Cris e Re disse...

Lucinei, gostei mto dos seus posts, principalmente pela sutileza em dizer q o processo é difícil mas sem desanimar os q estão tentando.. hehe Bom, tenho um milhão de dúvidas como todos q estão no processo, mas tentarei ser breve.. O governo de Quebec dá algum auxílio p/ quem ainda não conseguiu tirar sua licença p/ trabalhar e consequentemente nao trabalham e nao têm renda(como seg desemprego, auxílio aluguel, etc)? Qto tempo vc acha q se precisa ter p/ um francês aceitável pelos hospitais? (qtos anos de estudo, mais ou menos?) Como funcionam as especializações? Eu tenho 2, em algum momento poderão ser usadas aí? E por fim: A enfermeira (graduada) trabalha no mesmo esquema daqui do Brasil? Lidera equipe de técnicos? Obrigada pela atenção!!! Renata

Lucinei disse...

:)

Quantas perguntas, rsrs
Se eu falhar nas repostas, por favor me desculpe.

1- Dá. Tem a l'aide social, que é uma ajuda financeira dada pelo Emploi Québec para quem tem que estudar, tipo fazer o curso de adaptação, e consequentemente não pode trabalhar (não é que não pode trabalhar, a VERDADE É QUE NÃO DÁ TEMPO). O valor vai depender do que você vai declarar nos formulários q vc vai preencher qdo for pedir a ajuda.

Enquanto faz a francisação de tempo integral, você recebe em torno de 450,00 dólares por mês. Cada nível da francisação dura três meses. Não é muita coisa, ams ajuda. Por exemplo, se você não for muito exigente, dá para pagar um quarto com esse valor, ou quase um aluguel.

2- É difícil falar do nível do francês :), mas tem que saber falar bem (e entender o québécois também). Exemplo: se você fizer o nível avançado aí no Brasil, quando chegar aqui e fizer um teste de nivelamento pelo MICC, provavelmente você irá para o nível 3. Mas, se você fizer esse teste de nivelamento na UQÀM ou em um centro de comissão escolar, talvez vc vai para o nível 2. O sotaque québécois realmente é difícil de engolir, vc verá :) Então, estude o máximo q vc puder, faça os níveis que vc puder fazer aí, pelo menos virá com uma ótima base. Mas, não conheço ninguém que chegando aqui, não precise estudar mais um pouco de francês.
Se você chegar direto no nível 3 e continuar estudando sem parar, acho que dentro de uns 6 meses dá para passar nas provas do cégep.
Para ser bem clara: tem que ter fluência, que vc só irá pegar depois de um tempo aqui, ou na França.

3- Dificilmente as especializações serão reconhecidas. Quem dirá isso será o MICC, não a OIIQ. A minha especialização em cardiologia não foi aceita aqui. Mas isso é outra coisa que também depende do momento em que seus papéis forem analizados.

4- Sobre a função de enfermeira, vou conversar com uma conhecida q já trabalha como enfermeira. Depois t conto tudo :)
Sei q tem algumas diferenças, por ex: a enfermeira aqui trabalha muito em parceria com a enfermeira auxiliar, a enfa delega as tarefas que ela julga mais simples a enfa auxiliar.

Bjs. Boa sorte

Cris e Re disse...

Muito obrigada! Coloque suas novidades aqui pra gente acompanhar sua jornada!
Beijos
Re e Cris

Lucinei disse...

Então, Luciana, eu começo dia 12 de setembro o curso de adaptação em enfermagem. Estou esperando passar pela entrevista do Cégep para ter mais assunto para postar :). Dia 13 de agosto devo fazer um post falando sobre a entrevista, o que achei, etc

Abraços

Ana Paula disse...

Salut Lucinei!!

Saudações brasileiras!!!

Meu nome é Ana Paula,sou enfermeira assim como vc, e gostaria muito de poder me comunicar com alguma enfermeira. Vc sabe como é, quanto mais informações buscamos, mais dúvidas acumulamos. Se concordar, gostaria de manter este contato por e-mail,ok?! Te conto mais detalhes. Merci et a bientôt. Ma corriel: apaula_lucena@hotmail.com

Lucinei disse...

Olá :)

Olha, com as crianças, não se preocupe agora. Vc protege eles bem com as roupas adequadas...e eles vão pra neve como se estivessem indo para uma duna, rsrs

Idade: 36 e 41. Não estão tão velhos e tem crianças: tudo que eles querem, mão de obra para sustentar os idosos do Québec, rsrs
Melhor tentar, se não der, vem passear, leva numa boa. Mais tenta!

Documentação: a OIIQ deve ter te mandado a relação dos documentos. Tem que ter mandado! Ou não? De cabeça não lembro...

Deixa para dar entrada na OIIQ depois da entrevista, depois de ter certeza que foram aprovados, até porque tem taxas a pagar. Aliás, tanto para a OIIQ quanto para o processo de imigração. As taxas foram pagas via internet (cartão). Mas se vc quiser ir separando, ajuda depois. Tem que traduzir todos os documentos que eles pedirem.

Começo a adaptação dia 12/09 (mês que entra), de meses e após posso rabalhar como CEPI.

Inglês funcional é básico. Dá tempo dele aprender e vir com um nível intermediário. Depois, vai pegando no dia a dia. Um bom nível de francês é bom para não chegar aqui e ficar muito tempo de molho estudando francês. Em Québec, o francês é bem forte, diferente de Montréal, que vc mistura mesmo as 2 línguas. Mas, muita gente sabe inglês lá.

Tem certeza que vc quer vir em janeiro?????? Se fosse eu, pensaria melhor, rsrs

Vc conhece essa comunidade? Tem muitas informações... dá uma olhada...http://www.orkut.com/Main#Community?cmm=49288060

vai em fóruns para escolher o assunto. Ajuda muito :)

Abraços e boa sorte.

jorge disse...

Sim, vc falou como foi a prova da ordem, vc conseguiu passar?
Abraço

Anônimo disse...

Olá Lunicei!!

Gostaria de uma opinião sua, eu irei me graduar em enfermagem em julho de 2013 e logo que estiver com o diploma pretendo tentar trabalho no Canadá, meu namorado mora a 9 anos em Toronto, e tenho uma prima que mora em Vancouver, mas venho muitas informações sobre Quebec, que eles estão precisando de Enfermeiros...
Bom, meu desejo é ir para Toronto, mas não sei em qual província esse processo é mais fácil, eu li o que escreveu que em Ontario parece ser menos burocrático, eu achava que em Quebec era menos...rsrs Eu gostaria de sua opinião que está aí e pode me informar melhor.
Desde já, obrigada!!
Beijos
Taíssa :)

Anônimo disse...

Olá
Você sabe de alguma consultoria, algum lugar onde eu possa estar tirando dúvidas aqui em SP??
Obrigada, Jéssica

Lucinei disse...

Taíssa,

sem querer te influenciar, mas já q vc tem apoio no lado inglês, se fosse eu iria para lá. Enfermeiros faltam em todo o Canadá. Tem que pensar direitinho...e começar :)

Qual língua vc fala melhor: francês ou inglês? Ou as duas, rsrs

Boa sorte

Lucinei disse...

Jéssica, não conheço lugar que ofereça consultoria não. Mas, seria consultoria no processo de imigração ou no processo da ordem?

Esse blog abaixo pode esclarecer muita coisa. É só de enfermeiros.

https://www.facebook.com/groups/214980428587607/

Abraços